Turismo – Feriados geram movimentação de R$ 1,17 bilhão ao Centro-Oeste

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros Goias
Feriados em 2015 geram movimentação de R$ 1,17 bilhão ao Centro-Oeste

Destinos da região devem atrair um milhão de viagens, segundo estudo do Ministério do Turismo
O calendário deste ano é um prato cheio aos amantes do turismo. Apenas os seis feriados “extras”, que se emendam aos finais de semana devem acrescentar R$ 18,66 bilhões à economia nacional e movimentar 10,8 milhões de pessoas pelo país. Na região Centro-Oeste, será um milhão de viagens e um impacto de R$ 1,17 bilhão. O estado mais beneficiado será Goiás, onde os seis feriados pesquisados renderão um acréscimo de R$ 635 milhões à economia do turismo local, resultado de 521 mil viagens.
Uma das principais atrações da região é o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. A unidade de conservação conta com uma área equivalente a mais de 65 mil campos de futebol e abriga centenas de nascentes e cachoeiras, além de rochas com mais de um bilhão de anos. O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local e foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela Unesco.
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
De acordo com o ministro do Turismo, Vinicius Lages, os feriados dão um fôlego extra ao setor. “As viagens movimentam os meios de hospedagem, o comércio e os demais serviços ligados ao turismo. No ano passado foram feitas 206 milhões de viagens pelo país, um número recorde, que temos condições de superar”, diz o ministro. O levantamento foi feito em parceria com a Fundação Getúlio Vargas e considerou os gastos médios registrados em viagens em cada um dos estados.​
A pesquisa considera projeções para os feriados de 21 de abril (Tiradentes, terça-feira), 1º de maio (Dia do Trabalho, sexta-feira), 4 de junho (Corpus Christi, quinta-feira), 7 de setembro (Independência do Brasil, segunda-feira), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, segunda-feira) e 2 de novembro (Finados, segunda-feira). Foram excluídos do cálculo o Carnaval, a Semana Santa, o Natal e o Réveillon, feriados já incluídos todos os anos no calendário.