Toque feminino faz a diferença no comércio do RS

Toque feminino diferença comércio RS flores arranjo
As mulheres estão trabalhando e gerenciado em todas as áreas. No comércio, é unânime o pensamento de que são elas quem decidem as compras e em quais lojas. Em casa, todas as decisões passam pela voz feminina. No Dia Internacional da Mulher, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) lembra que a luta das mulheres para manter igualdade nos direitos é diária.
– As mulheres são a base de quase todas as famílias. São elas que tomam as decisões em uma casa, desde a mais simples até as mais complexas. Além de saberem tudo que acontece dentro de casa, elas exercem suas tarefas de maneira muito eficiente em seus empregos. Os direitos das mulheres devem exaltados e o Dia da Mulher é apenas mais um dia de valorização do sexo feminino – ressalta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.
A proprietária da loja KariModas, Sandra Maria Salton do Prado, acredita que o toque feminino faz a diferença em qualquer empresa.
– É muito importante que qualquer empresa tenha um toque feminino na gestão. Nós temos uma percepção ótima, observamos bastante antes de tomar as decisões e conseguimos pensar com clareza em momentos de tensão. As mulheres trabalham com perspicaz e é mais detalhista que os homens, normalmente – afirma Sandra Maria Salton do Prado.
Superintendente de Marketing e Vendas da rede de lojas Pompéia, Carmen Ferrão ressalta que 70% dos cargos de gestão da empresa são, atualmente, ocupados por mulheres. Porém, a realidade não era esta quando entrou na loja, em 1984.
– Eu acho que fui uma percursora no varejo gaúcho e nacional. Em 1984, era praticamente a única mulher a trabalhar no comércio, ainda mais em cargo de gestão. Hoje, as mulheres dominam todas as áreas e estão na gestão. As mulheres são engajadas e responsáveis. A nossa rotina é muito mais intensa que a rotina dos homens e somos muito mais cobradas – destaca Carmen Ferrão.
A FCDL-RS ressalta pesquisa recente que mostra que as mulheres são donas de 43% dos negócios no Brasil, representando assim, mais de 5 milhões de empreendedoras.