Sbørnia em Revista : Hique Gomez lança canal no YouTube para websérie

Sbørnia em Revista - Canal do YouTube A Sbørnia Kontr’Atracka com Hique Gomes
Sbørnia em Revista – Canal do YouTube A Sbørnia Kontr’Atracka com Hique Gomes

Websérie : A Sbørnia Kontr’Atracka

Sbørnia em Revista – Canal do YouTube A Sbørnia Kontr’Atracka com Hique Gomes

Sbørnia em Revista

A websérie estreia em setembro e reunirá performances musicais, trechos de espetáculos e novos quadros com convidados especiais

Em meio ao isolamento social que se impõe no mundo inteiro, a Sbørnia vive um inusitado momento de abertura. A ilha flutuante, cuja história foi contada durante 30 anos por seus embaixadores culturais Kraunus Sang (Hique Gomez) e o Maestro Pletskaya (Nico Nicolaiewsky) no premiado espetáculo Tangos e Tragédias, segue trazendo novidades.

Sendo uma ilha flutuante, Sbørnia sempre esteve em isolamento social. Pela primeira vez, o Gøverno Provisørio da Sbørnia permitiu em seu território o acesso à plataforma de vídeos YouTube. O resultado foi a inédita divulgação para o mundo de muitos aspectos antes desconhecidos da cultura, do povo e da geografia do país. Essas novidades fazem parte do mais novo projeto da saga sbørniana:

Sbørnia em Revista

Onde: Canal do YouTube A Sbørnia Kontr’Atracka

Sbørnia em Revista

Produzida de modo totalmente remoto, e combinando material inédito com décadas de um longo arquivo, a websérie traz para o ambiente virtual as estórias da ilha flutuante em um formato que remonta à atmosfera dos clássicos programas humorísticos de TV. Com transmissões semanais pelo YouTube, no canal A Sbørnia Kontr’Atracka, os episódios promovem uma fusão de tempos e espaços, apresentando quadros inéditos e revivendo momentos marcantes dos mais de 35 anos da chegada dos sbørnianos ao Brasil.

Personagens

Além de Kraunus, Nabiha (Simone Rasslan) e o Professor Kanflutz (Claudio Levitan), a série marca também a estreia do mais novo integrante da trupe: Abustradamus (André Abujamra). Os episódios se passam na terra natal dos personagens, que também estão confinados em suas casas, esperando pela chegada da pandemia que se recusa a aportar na ilha flutuante. “É um verdadeiro acidente geográfico e o único a seguir rigorosamente as regras de isolamento continental desde sempre”, confirma Kraunus (Hique Gomez).

Confinados

As gravações seguem todos os protocolos de segurança exigidos pelos órgãos de saúde. Os técnicos, de som e vídeo, trabalharam de modo remoto, com acesso aos equipamentos, instalados nas casas dos artistas.

Relembre algumas peculiaridades da Sbørnia

A Sbørnia é uma ilha que se desprendeu do continente após sucessivas explosões nucleares e passou a flutuar errante pelos mares do mundo. Seu maior patrimônio é a Recykla Gran Rechebuchyn, a Grande Lixeira Cultural de onde são extraídos e reciclados os dejetos artísticos esquecidos por outras nações. Seu regime político é o Anarquismo Hiperbølico, o que faz com que todos os seus governos sejam provisórios. A religião oficialdo país é o Votørantismo, pois os sbørnianos são radicalmente sonhadores e precisam muito acreditar no concreto. O esporte nacional é o Machadoboll, mas não existem ídolos como os jogadores de futebol brasileiros, pois é muito raro que algum atleta sobreviva por mais de três partidas.

Kraunus e Pletskaya imigraram para o Brasil em 1984, devido aos ataques de tribos hostis, como os Menudos, ao seu país, e se tornaram embaixadores da cultura sbørniana com seu espetáculo de marcadamente do estilo do Teatro Hiperbølico.

Em 2014, Pletskaya retornou em definitivo à sua terra natal, e dois anos mais tarde, Kraunus se juntou à pianista sbørniana Nabiha vivida pela maestrina, pianista e atriz Simone Rasslan para dar continuidade à saga com A Sbørnia Kontr’Atracka.

Além dos tradicionais espetáculos, que desde 1984 conquistaram fãs no Brasil e no exterior, a saga sbørniana invadiu outros formatos artísticos. Em 1990, Tangos e Tragédias em Quadrinhos, com criação de Cláudio Levitan e desenhos de Edgar Vasques, foi lançada pela editora L&PM, e ganhou duas novas edições em 2007 e 2017. Em 2013, a Sbørnia chegou às telas do cinema, com o longa de animação Até “Que a Sbørnia nos Separe”, dirigido por Otto Guerra e Ennio Torrezan, hoje os dois únicos brasileiros membros da academia de cinema de Holywood.