Porto Alegre – Protesto contra a corrupção e governo Dilma Rousseff (PT) leva 35 mil às ruas

Manifestações no RS monitoradas pela SSP - Foto Rodrigo Ziebel - SSPRS
Manifestações no RS monitoradas pela SSP – Foto Rodrigo Ziebel – SSPRS
A estimativa oficial da Brigada Militar é que 35 mil manifestantes tenham caminhado pelas ruas da capital gaúcha em direção ao Parque Moinhos de Vento. Na manifestação de março, 100 mil participaram do ato contrário ao governo Dilma Rousseff (PT).
As manifestações sociais, em 38 municípios gaúchos foram acompanhadas do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC), da Secretaria da Segurança Pública (SSP), a exemplo do que ocorreu no dia 15 março. A reunião de acompanhamento faz parte do planejamento estratégico desenvolvido pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI), composto pelos órgãos vinculados à SSP (Brigada Militar, Polícia Civil, Superintendência dos Serviços Penitenciários e Instituto Geral de Perícias) e representantes de instituições responsáveis pela Segurança Pública nas esferas municipal e federal, como a Policia Federal, a Policia Rodoviária Federal, Exército e Marinha do Brasil.
 
O secretário da Segurança Pública, Wantuir Jacini, coordenou a reunião de acompanhamento e avaliou como tranquilo o evento de domingo “nós estabelecemos um dispositivo de policiamento dissuasório igual ao dispositivo da vez anterior e a manifestação transcorreu normalmente sem nenhuma ocorrência de significado durante todo o transcurso da manifestação”.
Em relação ao evento anterior, o número de participantes foi menor neste domingo, em todo o estado 46 mil pessoas foram às ruas, sendo que 35 mil se concentraram em Porto Alegre, e outras 11 mil, no interior do RS. A primeira manifestação, no dia 15 de março, reuniu cem mil pessoas na capital gaúcha.  O diretor-geral da SSP, Alciomar Goerch, afirmou que o resultado das manifestações foi conforme o esperado e que a população deu um exemplo de cidadania “mostrou a maturidade dos nossos manifestantes, de forma democrática mostrando seus pontos de vista, e o nosso policiamento dando toda a proteção e segurança para que todos conseguissem fazer a manifestação sem nenhum problema de ir e vir”.
De acordo com o comandante-geral da BM, coronel Alceu Freitas, 18 mil policiais militares e se revezaram durante todo o dia, em todo o estado, para atender as demandas durante as manifestações. Em Porto Alegre, 600 brigadianos estiveram mobilizados, desde o início da manhã. Um reforço de 60  homens foi enviados a Caxias do Sul, cidade que teve grande número de pessoas, no evento do mês passado, e também, em razão do jogo do Grêmio x Novo Hamburgo. “Em todas as cidades, houve efetivo organizado e atuando, principalmente nos grandes centros, acompanhando o movimento”.
A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) atuou com cem agentes de trânsito, eles ficaram concentrados nos locais de caminhada e em torno do anfiteatro pôr do sol, onde ocorreu o show da cantora Ivete Sangalo. Além de uma equipe de plantão para casos de ocorrências graves, afirmou o gerente da Central de Controle e Monitoramento da Mobilidade (Cecom), Daniel Silveira Costa.
As imagens de todos os pontos da cidade, onde a manifestação ocorreu, foram monitoradas durante toda a tarde, o monitoramento foi feito a partir das imagens das câmeras das Plataformas de Observação Elevadas (POEs), Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Guarda Municipal de Porto Alegre, Trensurb, Polícia Rodoviária Federal, Concepa e dos imageadores aéreos acoplados a helicópteros da BM. Segundo o diretor do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI), tenente coronel Júlio César Rocha, a prefeitura de Porto Alegre, através da Procempa foi parceira no monitoramento disponibilizando as fibras ópticas para enviar as imagens para o CICC.  “Nós também disponibilizamos um reforço no nosso atendimento do call center, no telefone 190, do nosso videomonitoramento, e também, do nosso despacho de patrulhas, então o departamento entra para apoiar a SSP com esses aportes de segurança”.