Governador Ivo Sartori diz na Federasul que pretende controlar despesas para manter a prestação dos serviços essenciais

Tá na Mesa 2015 – Foto Ivan Andrade (1)
Na tentativa de amenizar as tensões decorrentes da crise financeira do Rio Grande do Sul, o govenador José Ivo Sartori garantiu que na quinta-feira (19/03/15) será apresentada a real situação dos cofres públicos. Adiantou que anunciará também um plano de enfrentamento que visa a controlar despesas e manter a prestação dos serviços essenciais. Durante a primeira edição do “Tá na Mesa” de 2015 promovido pela Federasul, na quarta-feira (18/03/15), ele também relatou que esteve em Brasília em busca da liberação de créditos para o fortalecimento do Caixa que tem projeção de encerrar o ano com um déficit de R$5,4 bilhões.
Não sou de fazer exigências. Mas vou em busca do que o RS tem direito
Sobre o risco de atraso ou parcelamento dos salários dos servidores estaduais, Sartori não adiantou nenhuma informação e que a realidade será conhecida somente no dia 20 de março, data em que são somados os fluxos de caixa. “Nossa intenção é de minimizar as angústias e as preocupações porque sabemos que todos dependem do pagamento para manter suas famílias”, afirmou ao destacar que não pode impedir que os grupos organizados ingressem na justiça para garantir o pagamento em dia. “Esse é um direito”.
Ao mesmo tempo, o governador lembrou que o Estado é constituído por hospitais, escolas e a segurança das pessoas, o que exige reservas de recursos para manutenção dos serviços essenciais. Na previsão orçamentária está o repasse de 12%, previsto na Constituição Federal, para a área da saúde. Ele também destacou a contratação de 500 professores.
Em Brasília Sartori tentou destravar, nos cofres da União, R$92 bilhões no Ministério da Previdência e protocolou um pedido de audiência com o ministro da Fazenda para buscar outros R$120 milhões. “Sobre a dívida do Estado com a União já temos a clareza que a repactuação será feita somente em 2016”, confirmou.
O RS está aberto para receber investimentos da iniciativa privada e o governador pretende atrair novas empresas que queiram aqui se instalar. Para isso, um grupo de trabalho já está elaborando um plano dentro do modelo de Parcerias Público Privadas (PPP) com a intenção de reorganizar a infraestrutura do Estado. “Sem a iniciativa privada não temos condições de investir na melhoria das rodovias gaúchas”, exemplificou, ao ressaltar que o Caixa do Estado tem encerrado com um volume maior de despesas do que de receita. Por fim, destacou a boa notícia de que a atual gestão conta a com as safras recordes para impulsionar a economia.
Tá na Mesa 2015 – Foto Ivan Andrade (2)
Homenagem
Durante o primeiro “Tá na Mesa” da Federasul deste ano foram feitas duas homenagens. A primeira ao superintendente da Federasul, Eládio Americano do Brasil, que faleceu na última semana. E a outra ao senador Pedro Simon, que não escondeu a emoção pelo reconhecimento da homenagem conduzida pelo presidente Ricardo Russowsky. O senador aproveitou para defender que o Congresso Nacional deve encaminhar as reformas necessárias neste que é o pior e mais crítico momento no Brasil. “Estamos vivendo a hora exata para dar um basta na corrupção e fazer o enfrentamento”, finalizou Simon.