Entenda porque sentimos mais dores de cabeça no inverno

Foto : AllImpress
Foto : AllImpress

Com o Inverno intenso, o frio pode chegar acompanhado de outros incômodos, como dor de ouvido, de garganta ou de cabeça. Nessa época do ano, o corpo entra em vasoconstrição, ou seja, os vasos sanguíneos da superfície da pele se contraem para inibir a perda do calor corporal.

A dor de cabeça é um sintoma comum para muitas doenças diferentes. A otorrinolaringologista com doutorado e livre-docência pela USP, Tanit Ganz Sanchez, lista algumas possibilidades para explicar porque podemos ter mais dores de cabeça no inverno; elas envolvem as vias respiratórias e as mudanças alimentares.

As inflamações e infecções respiratórias mais comuns no inverno são: as rinites, sinusites, amigdalites e faringites. Em geral, elas provocam dor ou desconforto no nariz ou na garganta, febre baixa ou alta e, muitas vezes, dor de cabeça pelo próprio estado inflamatório ou infeccioso.

Doenças relacionadas as vias respiratórias:
::: Rinites -Trata-se de uma inflamação crônica ou aguda da mucosa que reveste internamente o nariz e pode ocorrer por vírus ou bactérias.

::: Sinusites – A inflamação, no caso da Sinusite, ocorre nos seios da face, que são regiões ósseas ao redor do nariz e dos olhos.

::: Amigdalites – A inflamação e o inchaço ocorrem nas amígdalas, sendo mais frequente em crianças e adolescentes.

::: Faringites -Uma inflamação que costuma causar dor ou desconforto na faringe, que é a região do fundo da boca.

“Nesses casos, fazer o o diagnóstico e começar o tratamento medicamentoso da infecção pode melhorar a dor de cabeça rapidamente”, complementa Tanit Ganz Sanchez, que é especialista em Zumbido no ouvido.

Dores de cabeça relacionadas à alimentação: Com as temperaturas mais baixas, o corpo exige o consumo de alimentos que liberam energia para mantê-lo aquecido. “Dessa forma, aumenta muito a ingestão de carboidratos – pães, sopas e massas em geral -, e alimentos com alto teor de gordura como os queijos, os fondues, dentre outros, que alteram o nosso metabolismo diretamente”, complementa a otorrinolaringologista.

Sem contar com os achocolatados, os cafés, cappuccinos e chás, que são ricos em cafeína. Quando consumidos em excesso, podem aumentar a chance de provocar dor de cabeça, além de zumbido, ouvido tampado e até tonturas. “Para evitar esses problemas, é necessário manter cautela na ingestão desses alimentos, principalmente no inverno. Como a relação da dor de cabeça com os erros alimentares é menos conhecida, nem sempre se faz o diagnóstico correto. Com isso, as pessoas tentam controlá-la usando analgésicos várias vezes ao dia, quando deveriam apenas readequar a alimentação. Por isso, ao surgir qualquer sintoma frequente, é indicado procurar um médico para que o problema não se torne crônico e de difícil tratamento”, finaliza Tanit Ganz Sanchez.

.